sexta-feira, 15 de dezembro de 2017


Você sabe qual é o significado da palavra "oleiro"? Oleiro nada mais é do que aquele que fabrica objetos de barro, entre eles, o vaso. Quando o oleiro, pacientemente, molda um vaso, é natural que ele apresente alguns defeitos. Então, cabe a esse profissional decidir se aquele vaso continuará com as imperfeições ou se ele será remodelado. Da mesma forma Deus trabalha em nossas vidas. Veja:
"Esta é a palavra que veio do Senhor a Jeremias: ‘Vá à casa do oleiro, e ali você ouvirá a minha mensagem’. Então fui à casa do oleiro, e o vi trabalhando com a roda. Mas o vaso de barro que ele estava formando estragou-se em suas mãos; e ele o refez, moldando outro vaso de acordo com a sua vontade. Então o Senhor dirigiu-me a palavra: ‘Ó comunidade de Israel, será que não posso eu agir com vocês como fez o oleiro?’, pergunta o Senhor. ‘Como barro nas mãos do oleiro, assim são vocês nas minhas mãos, ó comunidade de Israel’" (Jeremias 18:1-6).
Eu fico imaginando qual foi a reação de Jeremias ao ouvir a ordem de Deus: "Vá à casa do oleiro, e ali você ouvirá a minha mensagem". O profeta, na sua natureza humana, poderia ter pensado: "Por que o Senhor não me diz aqui mesmo o que tem a dizer? Por que eu preciso ir até lá?" Mas, ao chegar naquele lugar, Jeremias viu um oleiro trabalhando em um vaso que se estragou e foi refeito. Com isso ele entendeu a mensagem de Deus: "O vaso de barro que ele estava formando estragou-se em suas mãos; e ele o refez, moldando outro vaso de acordo com a sua vontade. Então o Senhor dirigiu-me a palavra:" (vers. 4-5).
Neste momento, o Senhor fez duas revelações importantes ao profeta Jeremias. Vejamos:

1) QUEM É O OLEIRO

"Ó comunidade de Israel, será que não posso eu agir com vocês como fez o oleiro?, pergunta o Senhor" (versículo 6).
O oleiro que Jeremias viu representava o próprio Deus, zeloso e misericordioso, que nos aperfeiçoa em nossa fraqueza e deseja ter um relacionamento íntimo conosco, para sermos moldados e nos tornarmos o tipo de pessoa que Ele deseja. Deus, o nosso Oleiro, mesmo com toda Sua força e poder, escolheu amar um "objeto" tão frágil e cheio de limitações, que somos nós. Quando entregamos nossa vida a Jesus e cremos Nele como único Salvador, nós recebemos o Espírito Santo em nosso interior e passamos a refletir a presença de Deus em nossas vidas. Continuamos frágeis, mas pela graças do Senhor, somos transformados dia após dia, até nos tornarmos mais parecidos com Cristo. Veja: "Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós" (2 Coríntios 4:7). Diante de tudo isso, não temos nenhum mérito. A glória é somente de Deus, pois o que nos torna belos, não foi conquistado por nós mesmos, mas sim por Jesus, na cruz do calvário.

2) QUEM É O VASO

"Como barro nas mãos do oleiro, assim são vocês nas minhas mãos, ó comunidade de Israel" (versículo 6).
Essa palavra vinda a Jeremias, provavelmente foi revelada durante os primeiros anos do reinado de Jeoaquim, um rei que desagradava a Deus em tudo. Então, o Senhor usou as figuras do oleiro e do vaso para ilustrar Sua soberania para lidar com Israel.
Deus mostrava ali que Ele tinha o poder sobre o "barro", e continuaria trabalhando nele para transformá-lo em um vaso útil. No entanto, Israel deveria se arrepender dos seus pecados, caso contrário, o barro ficaria duro antes de ganhar o molde desejado por ele. E se o barro endurecesse, ele teria que passar por um processo muito doloroso, pois seria amassado, quebrado e refeito outra vez.
O tempo passou, mas Deus não mudou! Seus padrões de justiça, perdão e amor continuam os mesmos e se aplicam a nós com a mesma intensidade dos tempos do profeta Jeremias. Deus continua sendo o oleiro e, agora, nós somos o barro em Suas mãos. Por isso devemos nos perguntar: "Permitiremos ser moldados segundo o padrão de Deus, ou continuaremos vivendo a vida do jeito que achamos melhor? Deixaremos que Deus, através do Espírito Santo, nos esvazie do nosso "eu", para nos transformar em vasos para honra e santificação, prontos para sermos usados em Sua boa obra?"
Para que Deus comece a nos moldar até nos tornarmos um vaso valioso e útil, é preciso que nos rendamos a Ele. Devemos refletir sobre a nossa postura diante do Oleiro. Não podemos ficar paralisados como o barro, permitindo que o pecado e as más escolhas nos seque e nos endureça, mas devemos deixar que o Senhor trabalhe em nós, colocando Sua mão de poder nas áreas que não gostamos de mudar. Devemos ter coragem para orar: "Senhor, seja feita a Tua vontade! Trabalhe em todas as áreas da minha vida, pois não quero ser um vaso velho, duro e reprovado".
Há uma música muito linda que diz: "Eu quero ser Senhor amado, como um vaso nas mãos do oleiro. Quebre a minha vida e faça de novo. Eu quero ser, eu quero ser, um vaso novo, como tu queres, Senhor amado. Tu és o oleiro, e eu o vaso. Quebra a minha vida e faça de novo. Eu quero ser um vaso novo."

O paralítico do tanque de Betesda

/uploads/posts/O paralítico do tanque de Betesda
Leia esta passagem:
"Algum tempo depois, Jesus subiu a Jerusalém para uma festa dos judeus. Há em Jerusalém, perto da porta das Ovelhas, um tanque que, em aramaico, é chamado Betesda, tendo cinco entradas em volta. Ali costumava ficar grande número de pessoas doentes e inválidas: cegos, mancos e paralíticos. Eles esperavam um movimento nas águas. De vez em quando descia um anjo do Senhor e agitava as águas. O primeiro que entrasse no tanque, depois de agitada as águas, era curado de qualquer doença que tivesse. Um dos que estavam ali era paralítico fazia trinta e oito anos. Quando o viu deitado e soube que ele vivia naquele estado durante tanto tempo, Jesus lhe perguntou: 'Você quer ser curado?' Disse o paralítico: 'Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim'. Então Jesus lhe disse: 'Levante-se! Pegue a sua maca e ande'. Imediatamente o homem ficou curado, pegou a maca e começou a andar. Isso aconteceu num sábado'" (João 5:1-9).
Essa é, com certeza, uma das mais emocionantes e conhecidas passagens do Livro de João. Além disso, essa história traz um aprendizado muito grande sobre os milagres de Jesus em nossas vidas. Ela nos mostra que a solução de nossos problemas também depende de nós. Vejamos:

1) Esteja no lugar certo

Uma coisa é fato: para que certas coisas aconteçam em nossas vidas, precisamos estar no lugar certo. O paralítico dessa passagem poderia estar em sua casa, numa rua pedindo esmolas, na porta do tempo clamando pela misericórdia das pessoas... Contudo, ele estava ao lado do tanque, esperando pelo seu milagre.
Agora, traga essa situação para a sua realidade. Quantas vezes você orou e esperou por uma resposta de Deus, mas ficou acomodado no sofá de sua casa e não foi ao lugar onde você poderia receber os milagres? Se você realmente deseja algo sobrenatural da parte de Jesus, você precisa, mesmo com todas as dificuldades, sair da zona de conforto e ir ao encontro da bênção.

2) Espere o tempo certo

Outro aprendizado que temos da história do paralítico de Betesda é que não basta apenas estarmos no lugar certo; devemos esperar pelo tempo certo. A Bíblia relata que aquele homem esperou 38 anos por aquele milagre! Eu nem cheguei aos 38 anos de idade e já perdi as contas de quantas vezes fiquei triste, desanimado e ansioso porque algo pareceu demorar para acontecer na minha vida!
É provável que você já tenha ido algumas vezes ao lugar certo em busca do seu milagre, mas, por não ter recebido nada, acabou desistindo. Mas Jesus, através dessa história, está dizendo que está na hora de você voltar; renovar sua esperança e esperar com fé, pois o Senhor, no tempo certo, vai agir em sua vida!

3) Conte com a pessoa certa

Em terceiro lugar, é preciso entender que, embora estejamos no lugar certo e aguardando pacientemente o tempo de Deus, não será qualquer pessoa que irá nos ajudar a alcançar esse milagre. Por isso, devemos falar com a pessoa certa para que as coisas aconteçam.
Enquanto esperava no lugar certo, o paralítico via várias pessoas conhecidas passarem por ele todos os dias. Acredito que ele pensava: "agora o meu problema vai ser resolvido, pois essa pessoa me conhece e vai me ajudar!". No entanto, ninguém o levou até o tanque e isso o deixou completamente frustrado. Isso nos mostra que, às vezes, nossas melhores surpresas vêm de pessoas que nem conhecemos, enquanto que, dos conhecidos temos as maiores decepções.
Pode ser que você já saiba disso, mas não custa nada reforçar: não conte seu problema para qualquer um! Ainda que alguém tenha a boa intenção de te ajudar, poucos podem, de fato, fazer algo por você. Então, evite se decepcionar contando seus problemas e dificuldades para todo mundo, como se qualquer pessoa pudesse resolver a sua situação. Pense comigo: se seu problema pudesse ser solucionado por qualquer um, você mesmo já teria resolvido, não é mesmo?

Conclusão

Diante dessas três lições da história do paralítico do tanque de Betesda, podemos concluir que Deus, no Seu tempo, irá realizar o milagre que tanto precisamos. No entanto, para que isso aconteça não podemos perder a fé, ser acomodados e, nem colocar a nossa confiança no ser humano.

6 observações que fiz sobre a pregação

/uploads/posts/6 observações que fiz sobre a pregação
Fui ordenado pastor há 6 anos e, durante todo esse período, ouvi com muita atenção a palavra de Deus através de vários pregadores. Passei, então, a me atentar à forma com que cada um deles anunciava o Evangelho de Cristo e, a partir disso, cheguei a 6 pontos importantes sobre a pregação, que tem me ajudado quando vou pregar na igreja. Vamos a elas:

1) A maioria dos cristãos realmente quer saber o que a Bíblia ensina

Apesar de alguns pregadores acharem o contrário, as pessoas estão sempre em busca de mais conhecimento bíblico. É por isso que as pessoas continuam indo à igreja semana após semana. Mas, infelizmente, muitas igrejas não trazem um alimento sólido na pregação da Palavra de Deus e também não oferecem discipulados e estudos bíblicos. Devemos entender que se a igreja quer crescer com qualidade, a Palavra de Deus nunca pode ficar em segundo plano.

2) A maioria das pessoas na igreja prefere que o pregador tenha entusiasmo

Não estou dizendo que o pregador deve gritar, mas levantar a voz para dar uma ênfase em algo não ofende ninguém. Gritar o tempo todo não é aconselhável. Ninguém (nem criança, nem adulto) gosta de ficar ouvindo alguém gritar por 30 ou 40 minutos. Além disso, se toda a mensagem é gritada, fica impossível enfatizar alguma coisa. Por outro lado, um pastor que fala baixo e não enfatiza pontos relevantes pode levar suas ovelhas ao tédio. Deve haver um bom senso.

3) Um grande diferencial da pregação é a forma como ela é transmitida

O pastor que entende seu papel como líder não pode deixar de amar o seu rebanho, mesmo se estiver desapontado com ele. Isso significa que ele sempre deve abordar suas ovelhas com amor e respeito. É preciso fazer com que a igreja sinta que a Palavra, por mais dura que seja, foi enviada por Deus e preparada por um pregador que tem zelo e está interessado no crescimento espiritual de cada membro.

4) Dizer "nós" em vez de "você" mostra que o pastor reconhece que ele não é perfeito

Nas minhas primeiras pregações, eu sempre apontava o dedo para as pessoas e usava a expressão “você”. Até que minha esposa me advertiu e disse que isso poderia me colocar numa posição de julgador e ofender as pessoas. Dizer "você" o tempo todo durante a Palavra traz a sensação de que você fala "de cima para baixo", por isso nenhum pregador deve usar constantemente essa palavra quando for trazer a correção. Por exemplo: "Se você quer estar mais perto de Deus, você precisa passar um tempo a sós com Ele. Você nunca irá crescer se ignorar o estudo da Palavra de Deus”. Em vez disso, é melhor dizer: "Se nós, seguidores de Cristo, queremos estar mais perto de Deus, precisamos passar um tempo a sós com Ele. Nós nunca iremos crescer se ignorarmos o estudo da Palavra de Deus."

5) Não é preciso dar um show de humor no púlpito

A pregação da Palavra de Deus é algo sério e de grande responsabilidade, mas, isso não significa que não haja lugar para o humor nas suas pregações. Lembre-se: humor é um meio de comunicação que pode atrair as pessoas para ouvir a verdade e ele só se torna um problema quando ofusca a verdade. Por isso devemos saber o momento certo de usá-lo. Talvez você seja uma pessoa séria e não leva jeito para contar algo engraçado, (eu também sou assim), mas aprendi que um sorriso sempre é bem vindo e faz com que as pessoas abram o coração para a mensagem que será pregada.

6) Seja você mesmo quando for pregar

Phillips Brooks, grande pastor norte-americano que viveu no século XIX, disse certa vez que "pregar é mostrar a verdade através de sua personalidade”. Isso quer dizer que um pregador não deve imitar outro pregador renomado para levar a Palavra às pessoas. Isso só o impedirá de crescer espiritualmente e ver o agir de Deus em sua própria vida! Eu demorei muito tempo para entender que Deus não me chamou para ser um pastor igual ao Silas Malafaia ou André Valadão; Deus me chamou para que eu fosse simplesmente o Antônio Junior. É claro que não há nada de errado em aprender com os outros, mas Deus quer nos usar exatamente do jeito que somos. Nossa personalidade é única, e quanto mais formos autênticos, mais as pessoas verão com clareza a verdade que queremos transmitir a elas. Que Deus te abençoe!
"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas." (Romanos 10:13-15)

Aprenda com Neemias a reconstruir os muros caídos de sua vida

"Então eu (Neemias) lhes disse: Vocês estão vendo a situação terrível em que estamos: Jerusalém está em ruínas, e suas portas foram destruídas pelo fogo. Venham, vamos reconstruir o muro de Jerusalém, para que não fiquemos mais nesta situação humilhante" (Neemias 2:17).
Na época de Neemias, os muros de Jerusalém estavam completamente destruídos e a cidade não tinha mais nada, a não ser um monte de pedras sobre pedras. E a igreja estava totalmente afastada dos caminhos do Senhor, sem nenhuma pessoa firme para testemunhar do Deus vivo. Que situação terrível! A opressão ao redor de Israel era tão grande que todos aqueles que queriam reconstruir suas vidas, eram zombados e desestimulados a trabalhar.
E o que Deus fez para acabar com tanta destruição, humilhação e falta de esperança daquele povo? Será que Ele enviou um exército de homens fortes e valentes para ajudá-los? Não! Deus levantou apenas um homem - NeemiasMas afinal, quem era esse homem?
Neemias era uma pessoa comum, que servia como copeiro do rei da Pérsia, no meio de pessoas ímpias, que ignoravam a Palavra de Deus. Mas ele não se contaminou com a maldade que estava ao seu redor. No meio de tanto pecado, imoralidade, sensualidade e ausência de Deus, Neemias permaneceu firme na caminhada santa com Deus. E quando ouviu falar que Jerusalém estava destruída, ele ficou extremamente triste e sem forças para fazer qualquer coisa. Mas esse fardo pesado que entrou no seu coração, fez com que ele passasse a maior parte do tempo todo orando, jejuando e chorando. Ele estudou a Palavra de Deus com intensidade, sempre buscando entender o porquê de tudo aquilo ter acontecido. Até que, no tempo certo, Deus lhe abriu uma porta, de forma sobrenatural, para que ele fosse ajudar o seu povo a reconstruir os muros destruídos.
Logo que Neemias encontrou-se com os sobreviventes daquela tragédia, ele começou a pregar e dizer o que Deus havia colocado em seu coração. As pessoas começaram então a se arrepender e um avivamento começou a despertá-las para a santidade. Veja: "Os sacerdotes e os levitas se purificaram cerimonialmente, e depois purificaram também o povo, as portas e os muros." (Neemias 12:30) A casa de Deus também passou por mudanças. Neemias enviou trabalhadores para dentro do templo, dizendo-lhes palavras como estas: "Eu quero que cada lixo seja levado para longe daqui! Não quero nada aqui dentro que tenha a ver com idolatria ou sensualidade" (ver Neemias 13:8-9).
Meus irmãos, essa é a receita para o avivamento! A transformação que tanto queremos em nossas vidas e nas pessoas ao nosso redor, acontece quando jogamos fora tudo o que “não presta” em nosso coração. Todo pecado escondido, todo pensamento impuro e as obras da carne que ainda não foram transformadas pelo Espírito Santo (Gálatas 5:19-21). Deus não quer mais nenhuma brecha e nenhum lugar escuro dentro de nós! Nós fomos salvos por Jesus Cristo, para sermos luz do mundo e andarmos em santidade, pois Deus é santo e Ele quer que sejamos parecidos com Ele.
Mas aonde Neemias conseguiu tanta autoridade espiritual para fazer pessoas sem compromisso tremerem de medo da condenação e voltarem a priorizar as coisas de Deus? Será que ele aprendeu isso com o rei da Pérsia, seu antigo patrão? Não! Ele aprendeu com algum líder da igreja? Não! Ele aprendeu em um seminário ou escola bíblica dominical? Também não! Neemias recebeu essa autoridade e ousadia, de joelhos, orando, chorando e pedindo para conhecer o coração de Deus. Ele não sabia o que fazer, a não ser depender totalmente da misericórdia de Deus. E como ele era um homem separado, que não brincava com o pecado, ele pôde confessar os pecados de toda a sua nação.
Veja essa oração que Neemias fez e comece hoje a varrer do seu coração toda sujeira, para que Deus te abençoe também e use-o para mudar a situação da sua família e igreja:
"Então eu disse: Senhor, Deus dos céus, Deus grande e temível, fiel à aliança e misericordioso com os que o amam e obedecem aos seus mandamentos, que os teus ouvidos estejam atentos e os teus olhos estejam abertos para ouvir a oração que o teu servo está fazendo dia e noite diante de ti em favor de teus servos, o povo de Israel. Confesso os pecados que nós, os israelitas, temos cometido contra ti. Sim, eu e o meu povo temos pecado contra ti. Agimos de forma corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aos mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés. Lembra-te agora do que disseste a Moisés, teu servo: "Se vocês forem infiéis, eu os espalharei entre as nações, mas, se voltarem para mim, e obedecerem aos meus mandamentos e os puserem em prática, mesmo que vocês estejam espalhados pelos lugares mais distantes debaixo do céu, de lá eu os reunirei e os trarei para o lugar que escolhi para estabelecer o meu nome". Estes são os teus servos, o teu povo. Tu os resgataste com o teu grande poder e com o teu braço forte. Senhor, que os teus ouvidos estejam atentos à oração deste teu servo e à oração dos teus servos que têm prazer em temer o teu nome. Faze que hoje este teu servo seja bem sucedido, concedendo-lhe a benevolência deste homem..." (Neemias 1:5-11).

Aprenda com os erros de Israel

/uploads/posts/Aprenda com os erros de Israel
Quem deixaria de morar em uma mansão em um condomínio de alto padrão para viver em um barraco na periferia, longe de tudo? Quem trocaria uma mesa farta das melhores comidas para se alimentar das migalhas que caem no chão? Quem abriria mão do melhor plano de saúde para depender de um sistema público de saúde falido? Ninguém, certo? Pois bem, o povo de Israel abriu mão de benefícios semelhantes a esses para viver uma vida de miséria, dor e sofrimento. Vejamos:
"O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água" (Jeremias 2:13).
Israel tinha todas as bênçãos da comunhão. Eles estavam livres das doenças do Egito, tinham a garantia da vitória sobre seus inimigos e a provisão de Deus para absolutamente tudo. Porém, mesmo assim, eles escolheram servir a deuses pagãos e ídolos que nada poderiam fazer por eles. Vejamos o sentimento do Senhor diante disso:
"'Alguma nação já trocou os seus deuses? E eles nem sequer são deuses! Mas o meu povo trocou a sua Glória por deuses inúteis. Espantem-se diante disso, ó céus! Fiquem horrorizados e abismados', diz o Senhor" (Jeremias 2:11,12).
Mas por que as pessoas fizeram e continuam fazendo essas tão "sem noção" como essa?  Por que os crentes estão trocando Deus por coisas fúteis? Vamos ver algumas respostas:
1) Porque elas estão mais preocupadas em aumentar a conta bancária do que a sua comunhão com o Pai;
2) Porque se preocupam mais em irem bem arrumados para o culto do que cultuar a Deus com o coração sincero;
3) Porque acham mais interessante buscar a prosperidade terrena do que a prosperidade espiritual.
Mas, pastor, o que é adorar ídolos?
Adorar ídolos significa trocar algo seguro e eterno por algo instável e passageiro! E foi exatamente isso que Israel fez.
Os israelitas nos trazem lições do que NÃO devemos fazer. Vejamos o que Paulo falou sobre eles:
"Porque não quero, irmãos, que vocês ignorem o fato de que todos os nossos antepassados estiveram sob a nuvem e todos passaram pelo mar. Em Moisés, todos eles foram batizados na nuvem e no mar. Todos comeram do mesmo alimento espiritual e beberam da mesma bebida espiritual; pois bebiam da rocha espiritual que os acompanhava, e essa rocha era Cristo. Contudo, Deus não se agradou da maioria deles; por isso os seus corpos ficaram espalhados no deserto. Essas coisas ocorreram como exemplos para nós, para que não cobicemos coisas más, como eles fizeram. Não sejam idólatras, como alguns deles foram, conforme está escrito: 'O povo se assentou para comer e beber, e levantou-se para se entregar à farra'. Não pratiquemos imoralidade, como alguns deles fizeram - e num só dia morreram vinte e três mil. Não devemos pôr o Senhor à prova, como alguns deles fizeram - e foram mortos por serpentes. E não se queixem, como alguns deles se queixaram - e foram mortos pelo anjo destruidor. Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos. Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia! Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar. Por isso, meus amados irmãos, fujam da idolatria" (1 Coríntios 10:1-14).
Como adorar somente a Deus?

1) Quando alimentamos a nossa alma com louvores

Esse é o banquete do crente! O salmista escreveu: "Eu te bendirei enquanto viver, e em teu nome levantarei as minhas mãos. A minha alma ficará satisfeita como de rico banquete; com lábios jubilosos a minha boca te louvará" (Salmos 63:4,5).
Jesus disse: "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos" (Mateus 5:6).
A verdade é que, quando temos fome das coisas de Deus, perdemos a fome pelas coisas do mundo. E é impossível conseguir se alimentar dessas duas coisas! Ou você se alimenta do que Deus tem para te dar e morre para o mundo, ou se alimenta das coisas do mundo e morre para Deus!

2) Quando cuidamos dos nossos pensamentos

 Qual é o seu primeiro pensamento pela manhã? E à noite, qual é o seu último pensamento? O rei Davi disse: "Quando me deito lembro-me de ti; penso em ti durante as vigílias da noite" (Salmos 63:6).
Isso mostra que Davi meditava em Deus o tempo todo! Ele não tinha tempo para distrações. Jesus nos ensinou: "Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração" (Mateus 6:21).

Quem são os 3 inimigos do cristão e como vencê-los? (Batalha Espiritual)

/uploads/posts/Quem são os 3 inimigos do cristão e como vencê-los? (Batalha Espiritual)
A Bíblia mostra que todos nós, seguidores de Cristo, temos alguns inimigos que lutarão contra nós enquanto vivermos. A vida aqui na Terra é um campo de batalha e nós precisamos saber contra quem estamos lutando. 
Muitos pregam que seguir Jesus é ter uma vida cheia de alegrias e bens materiais. Mas a verdade é que os verdadeiros cristãos passarão por muitas aflições e terão muitos desafios pela frente, e ao final, a única coisa que Cristo lhes promete é a salvação de sua alma. O apóstolo Paulo diz em Efésios 6:12 que essa luta é espiritual, por isso quer mostrar a você quais são os 3 inimigos da vida cristã: 

1º inimigo: O mundo 

A Bíblia ensina que não devemos amar ao mundo, pois ser amigo do mundo é ser "inimigo de Deus" (Tiago 4:4). O mundo é todo esse sistema de valores que domina a sociedade e muitos deles são contrários à vontade de Deus. O mundo que não devemos amar é o "modo de vida" sem regras e cheio de pecados, que incentiva a ganância, o egoísmo, a força, a ambição e o prazer acima de tudo. O cristão temente a Deus deve sempre vigiar para não ser envolvido por estes sentimentos carnais e deixar os valores espirituais em segundo plano.
Em 1 João 2:15-17 está escrito que os prazeres do mundo estão divididos em 3 partes: a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a soberba da vida.
A cobiça da carne (sensualismo) é um desejo carnal, uma necessidade legítima do nosso corpo. Mas quando permitimos que esses desejos se tornem excessivos e nos façam cometer pecados, então desagradamos a Deus que é santo e puro.
A cobiça dos olhos (materialismo) é o desejo desenfreado e egoísta de termos aquilo que não precisamos ou que não pertence a nós.
A soberba da vida (egoísmo) é o desejo de mostrar aos outros que somos superiores e ostentar aquilo que muitos não conseguem ter. É olhar apenas para nós mesmos.
O mundo exerce muita influência sobre nós e quer moldar nossos pensamentos, mas quando estamos em Cristo, nos tornamos cidadãos do Céu e temos a oportunidade de sermos guiados pelo Espírito Santo.
E como podemos vencer o mundo?
Não se conformando com os padrões mundanos que incentivam a busca pelo pecado, riquezas e poder. Devemos buscar a comunhão de pessoas cristãs, que compartilham da mesma fé que a nossa, porém, sem esquecer daqueles que ainda não conhecem a graça de Deus. Além disso, devemos dar um bom testemunho em todas as ocasiões, sem medo de demonstrar quem somos e em que acreditamos. Isso não quer dizer que temos que ser chatos e intolerantes com as pessoas, mas sim falar a verdade do Evangelho com amor e sabedoria.

2º inimigo: A nossa carne

A "carne" é a nossa natureza humana com sua tendência natural ao pecado. A carne refere-se à nossa natureza caída (às vezes chamada de "velho homem"), que surgiu desde a desobediência de Adão e Eva. A Bíblia diz que todos nós nascemos com o coração inclinado a pecar, e que essa tendência a fazer o mal estará conosco enquanto vivermos aqui. Todo cristão possui duas naturezas: a nova vida que ele recebeu quando aceitou a Cristo, e a velha natureza pecaminosa chamada de "carne".
A nova natureza é controlada pelo Espírito Santo, mas a natureza antiga é caracterizada por seus desejos pecaminosos. Quando a nova natureza sem pecado é colocada ao lado da antiga natureza depravada, começa então a luta do espírito contra a carne.
Mesmo as nossas melhores atitudes podem ser contaminadas pelo egoísmo e orgulho, e dessa forma essas atitudes passam a ser algo carnal. Por exemplo: podemos orar para impressionar alguém com a nossa “espiritualidade”, fazer uma doação para ser aplaudido pelas pessoas, pregar sobre a Bíblia para ser elogiado pelos outros, etc. Enfim, se as nossas atitudes forem egoístas, elas não agradarão a Deus.
A natureza carnal, de fato, pode nos levar a cometer os piores pecados. Assim como os animais vivem por instinto, a nossa carne tende a fazer o que os nossos instintos naturais desejam. Muitas vezes, a carne tentará nos impedir de buscar a Deus em oração, de ler a Bíblia, de fazer o bem, pois ela busca somente as coisas terrenas e não as do Alto.
E como podemos vencer a carne?
Precisamos aprender a dizer "não" aos nossos desejos pecaminosos e tomarmos a decisão de obedecer a Palavra de Deus. Veja o que está escrito em Romanos 6:11,12:
"(...) Considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus. Portanto, não permitam que o pecado continue dominando os seus corpos mortais, fazendo que vocês obedeçam aos seus desejos."
Em Gálatas 5:25 também diz que devemos "andar no Espírito". Ou seja, devemos permitir que o Espírito Santo governe a nossa maneira de viver, de falar, de pensar, de agir, para que cumpramos a vontade de Deus para nossas vidas.

3º inimigo: O Satanás

Satanás é o comandante de um grande exército de demônios que se opõem a Deus e que tentam derrotar aqueles que aceitaram a salvação em Jesus. A Bíblia descreve Satanás como o ladrão, acusador, adversário, pai da mentira, príncipe da maldade, etc. Ele é inteligente e fará de tudo para nos afastar de Deus, mas não pense que seus ataques são da forma que você imagina. Geralmente eles são sutis e astutos. E não acredite naquela história que o diabo é um monstro vermelho com chifres - lembre-se que ele era um arcanjo de luz, um dos mais belos.
Satanás usará as distrações do mundo e o apelo da carne (os dois primeiros inimigos) para tentar nos desviar dos caminhos de Deus. Uma de suas técnicas prediletas é trazer desânimo, decepção, incredulidade, tudo para que deixemos de confiar nas promessas de Deus.
E como podemos vencer o diabo?
Precisamos buscar a Deus e tomarmos uma posição firme contra ele. Em Tiago 4:7 está escrito: “Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês.” Isso só é possível quando você decide obedecer o que está escrito na Bíblia e ter uma vida de oração.
Estes são os três inimigos da vida cristã: o mundo, a carne e o diabo. Devemos renunciar cada um deles se quisermos agradar ao Senhor, recusando ser guiados pelos padrões do mundo, negando os desejos da nossa carne e resistindo ao diabo com a armadura de Deus.

Aviva a Tua obra, ó Senhor

/uploads/posts/Aviva a Tua obra, ó Senhor
"Senhor, ouvi falar da tua fama; temo diante dos teus atos, Senhor. Realiza de novo, em nossa época, as mesmas obras, faze-as conhecidas em nosso tempo; em tua ira, lembra-te da misericórdia" (Habacuque 3:2).
A Bíblia mostra que Deus criou a Igreja e tudo o que há nela é obra dEle. Por isso, se você nasceu de novo espiritualmente, creia que Ele também tem uma obra em sua vida! Talvez você não será um pastor, evangelista ou ministro de louvor, mas Ele quer fazer uma obra única e especial em sua vida e através de você.
Porém, para que essa transformação aconteça, você não pode achar que a santificação virá por meio do seu esforço. É certo que você precisará se dedicar bastante, mas você deve sempre acreditar que toda capacitação virá do Senhor! A Bíblia mostra que a vida cristã é cheia de desafios e impecilhos para que façamos a obra de Deus, e sem notarmos, vamos nos desviando do caminho que o Pai traçou para nós e nos esfriamos espiritualmente. Se você chegou nesse ponto, peça a Deus para acender a chama do "primeiro amor" novamente no seu coração.
Quero apresentar três razões que mostram que estamos precisando de um avivamento pessoal:

1) Nossa conduta tem sido falha

Em Romanos 2:1-8 está escrito: "Portanto, você, que julga, os outros é indesculpável; pois está condenando a si mesmo naquilo em que julga, visto que você, que julga, pratica as mesmas coisas. Sabemos que o juízo de Deus contra os que praticam tais coisas é conforme a verdade. Assim, quando você, um simples homem, os julga, mas pratica as mesmas coisas, pensa que escapará do juízo de Deus? Ou será que você despreza as riquezas da sua bondade, tolerância e paciência, não reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao arrependimento? Contudo, por causa da sua teimosia e do seu coração obstinado, você está acumulando ira contra si mesmo, para o dia da ira de Deus, quando se revelará o seu justo julgamento. Deus 'retribuirá a cada um conforme o seu procedimento'. Ele dará vida eterna aos que, persistindo em fazer o bem, buscam glória, honra e imortalidade. Mas haverá ira e indignação para os que são egoístas, que rejeitam a verdade e seguem a injustiça".
Hoje em dia é fácil ser membro de uma igreja. O número de evangélicos tem aumentado muito no Brasil, porém, isso não quer dizer que o número de pessoas desonestas, corruptas e trapaceiras diminuiu. E o número de viciados: será que tem caído? Ganância e malandragem? Infelizmente, a nossa geração está igual ou pior do que as de outras épocas. Não é porque o número de "crentes" aumentou que nos tornamos pessoas melhores. Por isso precisamos tanto de um avivamento!

2) Nossas conversas não condizem com a nossa fé

"Meus irmãos, não sejam muitos de vocês mestres, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com maior rigor. Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo" (Tiago 3:1,2).
Quando você for conversar com um amigo cristão, preste atenção no diálogo. Quantas vezes vocês falaram de Deus e do Seu Reino nos últimos 30 minutos de bate-papo? Aposto que quase nada - para não dizer absolutamente nada!
O que você conversa com a sua família durante o almoço de domingo? Será que o assunto tem a ver com a fé em Cristo e a esperança que vocês têm nEle? E quando você sair daqui hoje: qual será o tema de sua conversa com os amigos? 

3) Nossa comunhão com Deus está fraca

Mesmo que nossa conduta seja impecável e falemos de nossa fé a todos os que conhecemos, posso dizer que estamos falhando na comunhão com Deus. Seja sincero: Qual foi a última vez que você rasgou o seu coração para Deus? Qual foi a última vez que você sentiu Deus te tocar? Será que não estamos mais contentes e satisfeitos com as coisas desse mundo do que com as coisas de Deus? Reflita.
Eu acabei de mostrar que precisamos de um avivamento. Agora, falarei sobre as formas de conseguir esse avivamento usando o exemplo de Habacuque:
a) Você precisa orar mais
Habacuque orou: "Realiza de novo, em nossa época, as mesmas obras, faze-as conhecidas em nosso tempo; em tua ira, lembra-te da misericórdia". Esse é o nosso problema: queremos o avivamento, mas não oramos por ele. É preciso clamar ao Senhor para que Ele faça em nós as mesmas obras realizadas no passado! Mas o que faz alguém buscar um avivamento?
- A insatisfação com a sua espiritualidade;
- A sensação de tristeza e saudade quando alguém te diz que está experimentando a presença do Senhor;
- Quando pessoas estão avivadas perto de você na igreja ou em outro lugar e você não sente nada de especial.
Se você se sente assim, comece a clamar a Deus todos os dias!
b) Não tome nenhuma decisão por conta própria
Não diga: "Vou sair daqui hoje e vou avivar a mim mesmo sozinho". Não diga: "vou me avivar". Em vez disso, diga: "Senhor, aviva a Tua obra!". Achar que você é espiritualmente autossuficiente mostra que você não conhece a sua situação. Sem Deus, é impossível ser avivado! Seria o mesmo que mandar um soldado ferido nas pernas e nos braços procurar um hospital. Então comece a orar assim: Senhor, faça por mim o que eu não consigo fazer por mim mesmo. Em nome de Jesus. Amém.

Como saber se aquele pastor ou líder é um homem de Deus?

/uploads/posts/Como saber se aquele pastor ou líder é um homem de Deus?
É muito comum hoje em dia os cristãos evangélicos no Brasil rotularem pastores e líderes de igrejas como sendo pessoas de Deus, somente porque ouviram uma boa pregação ou uma “palavra ungida” da boca deles. Mas será que podemos fazer uma avaliação dessa grandeza de forma tão ingênua? Será que todos são, de fato, “de Deus”? Ou será que muitos se aproveitam desse “título” para benefício próprio? Enfim, como saber se uma pessoa é de Deus?
Hoje, infelizmente, muitos buscam um título religioso, como pastor, bispo, apóstolo e outros tantos porque sabem que isso dá a eles um certo status e, consequentemente, regalias dentro das igrejas. Alguns, inclusive, são ordenados a esses cargos mesmo sem ter a menor condição ou preparação para exercê-los. Só que nós, cristãos, devemos tomar muito cuidado em rotular pessoas como “homens de Deus”, pois eles podem ser enganadores, que usam desse "título" para enganar os crentes e se beneficiar de sua fé. Muitos, inclusive, usam sua influência para pregar mentiras e enriquecer ilicitamente.
Jesus nos advertiu a respeito dessas pessoas: "Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Vocês os reconhecerão por seus frutos. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas? Semelhantemente, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore ruim dá frutos ruins. A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim pode dar frutos bons. Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão!" (Mateus 7:15-20) .
Diante disso, quero mostrar algumas características de um falso profeta:

1) O dom é mais relevante do que o caráter

Boa parte desses supostos “homens de Deus” tem dons especiais dados pelo Senhor, contudo, eles não possuem um caráter aprovado pelas Escrituras. Eles conseguem atrair multidões em nome de Deus usando os seus dons e alguns, inclusive, operam milagres de cura e expulsam demônios, mas o seu caráter mancha os ensinamentos deixados por Cristo. Por isso preste menos atenção no que essa pessoa faz e mais em quem ela realmente é. Jesus disse:
“Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ Então eu lhes direi claramente: ‘Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!’” (Mateus 7:22,23).

2) Amor e apego ao dinheiro

São pessoas que usam seu ministério com a motivação de enriquecer à custa dos fiéis. É claro que um pastor precisa pedir ofertas, afinal de contas, a igreja é mantida graças a isso. Sem falar dos investimentos feitos em trabalhos missionários, ajuda aos mais necessitados, etc.
Contudo, o falso “homem de Deus” tem como principal discurso o dinheiro. Eles afirmam que, se você não dizimar ou ofertar, não terá um lugar no céu. Criam campanhas duvidosas, onde vendem toalhas, lenços, vassouras e até tijolos supostamente ungidos por preços exorbitantes.

3) Ensinos antibíblicos disfarçados de espiritualidade

Esses falsos homens de Deus são especialistas em falar sobre o Reino de Deus, pecados e o inferno. Defendem falsas doutrinas como sendo corretas e, para isso, não pensam duas vezes ao citarem falsos testemunhos para convencer as pessoas. Por exemplo: há alguns dias eu fiz um vídeo falando a respeito do uso de maquiagens e acessórios. Mostrei que não é pecado, desde que a mulher use com decência e descrição (1 Timóteo 2:9,10 / 1 Pedro 3:3,4). Assista o vídeo aqui: É pecado usar maquiagem?
Porém, o que me deixou assustado foi o número de comentários que recebi de pessoas dizendo que certos pastores estão pregando que o uso da maquiagem, calça, brinco, etc levam a pessoa para o inferno. Alguns inclusive, dizem que tudo isso é pecado porque foram arrebatados e tiveram uma revelação de Deus. Mas o que eles esquecem é que se a salvação depende das nossas obras, então Jesus não precisaria morrer por nossos pecados (Leia Efésios 2:8,9). Além disso, os usos e costumes não nos dão poder para vencer as tentações. Veja o que o apóstolo Paulo disse:
“Já que vocês morreram com Cristo para os princípios elementares deste mundo, por que é que vocês, então, como se ainda pertencessem a ele, se submetem a regras: ‘Não manuseie!’ ‘Não prove!’ ‘Não toque!’? Todas essas coisas estão destinadas a perecer pelo uso, pois se baseiam em mandamentos e ensinos humanos. Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não têm valor algum para refrear os impulsos da carne"(Colossenses 2:20-23).

4) Pensam somente em si

Os falsos homens de Deus são aqueles que tentam, de qualquer forma, atrair as pessoas para si. Fazem o que for preciso para tirá-las de outras congregações e levá-las para a sua igreja. Muitos, inclusive, denigrem seus pastores e lideranças. 
E como saber se uma pessoa é de Deus? Em primeiro lugar, não se empolgue com os outros por causa de seus dons e poder de convencimento. Um verdadeiro homem de Deus anda de acordo com a Palavra e você precisa ler a Bíblia se não quiser ser enganado.
Identificar um verdadeiro homem de Deus te ajudará a não se alimentar de heresias, nem ser iludido e enganado por sinais e prodígios que não vieram do Senhor. É como diz aquele ditado: “Nem tudo que reluz é ouro”. Então, a minha oração é para que Deus nos torne homens e mulheres cheios do Espírito Santo e dos Seus dons, mas que isso não seja maior e mais importante do que o amor, o temor e a obediência à Palavra, pois só assim alguém pode ser reconhecido como “homem de Deus”.